segunda-feira, 26 de junho de 2017
NADA POP

Entrevista Jenn Fiorentino / Interview Jenn Fiorentino

CDM402_4P_Mailer_2Pocket_LgSpine

Capa do primeiro full da Jenn Fiorentino, o álbum “From Darkness to Light”

English version

Read the interview with Jenn Fiorentino in English by visiting this link: http://migre.me/qT3Ui

Versão em português

Jenn Fiorentino é uma canadense apaixonada por punk rock. Ela vem conseguindo uma boa repercussão com o seu trabalho autoral, mas começou a despertar o interesse de várias pessoas quando começou a postar vídeos no Youtube realizando versões acústicas de NOFX, Rise Against, Social Distortion, Bad Religion, Propagandhi, entre outros.

Suas versões despertaram interesse não por ser uma “menina” tocando e cantando músicas punks, mas por toda a energia orgânica criada por sua voz, seu estilo de tocar e os sentimentos expressados como só o punk, em muitos casos, é capaz de transmitir.

A verdade de suas versões foi reconhecida até por algumas das bandas autoras das versões originais, como o próprio Propagandhi, como você terá a oportunidade de saber nessa entrevista, realizada pelo Tércio Testa.

Além de ler essa conversa aproveite para conhecer o trabalho de  Jenn Fiorentino. Acesse sua página no Facebook: http://migre.me/qSIJg.

NADA POP ENTREVISTA JENN FIORENTINO

NADA POP – Jenn, só para começar, conte para nós como que a música entrou na sua vida e, mais especificamente, como se interessou por punk rock e hardcore.

JENN FIORENTINO – Comecei a ouvir punk rock quando eu tinha 13 anos de idade. Surpreendentemente, foram grupos como Good Charlotte e a Avril Lavigne que me apresentaram a cena punk, uma vez que sempre usaram camisetas de bandas punk e tal. E também, eu tinha um grande amigo cuja irmã mais velha escutava muito punk rock, como Rancid e Strung Out. Ela pegava os CDs emprestados e a gente adorava ficar ouvindo. E foi assim que eu me interessei de verdade. Logo depois comecei a frequentar shows punks e a tirar umas músicas na guitarra, acho que isso influenciou muito minha maneira de tocar e compor.

NADA POP – Qual era sua idade quando começou a tocar e você se lembra qual foi a primeira canção que aprendeu na guitarra? Foi alguma canção punk?

JENN FIORENTINO – Eu devia ter uns 12, 13 anos de idade quando comecei a tocar guitarra. Olha, de verdade, não me lembro muito bem qual foi a primeira canção que aprendi a tocar, acho que deve ter sido “Dammit”, do Blink 182…

jenn_fiorentino_fotoum

NADA POP – Como surgiu a ideia de postar vídeos com suas músicas e também com versões de algumas bandas punk/hardcore? Que barreiras pessoais, por exemplo a timidez, ou outras que queira citar, você teve que encarar antes de decidir postar os vídeos com você cantando?

JENN FIORENTINO – Antes de começar a postar estes vídeos eu era contra o Youtube por alguma razão. Acho que no fundo era muito “mainstream” para mim (haha). Mas, ao longo do tempo acabei decidindo que esta seria uma ótima ferramenta de divulgação para mim (sem falar que é grátis), então pedi uma câmera como presente de Natal. Depois disso, a coisa foi acontecendo sendo que muitas pessoas começaram a gostar das minhas versões, o que é sensacional. Eu fiquei muito nervosa antes de postar o primeiro vídeo, pois as pessoas costumam pensar que podem escrever ou publicar o que quiserem no Youtube e achar que não vão magoar ninguém. É um absurdo. Mas fiquei muito feliz em ver que as pessoas estavam realmente gostando do que eu estava fazendo, então continuei postando os vídeos e algumas das bandas que eu fazia versões começaram a entrar em contato comigo, o que foi sensacional! É possível perceber que, ao longo dos anos, fiquei mais e mais confiante ao tocar, seja ao vivo ou apenas na frente da minha câmera no meu quarto.

NADA POP – Algo que chamou nossa atenção foi o fato de você não utilizar de nenhum atributo físico seu para promover as canções e/ou atrair visualizações para seus vídeos, o que nos faz respeitá-la ainda mais. Entretanto, você acha que o rock n’ roll ainda é um universo predominantemente masculino? Você já se sentiu menosprezada por ser uma mulher tocando rock n’ roll? Como você lida com isso?

JENN FIORENTINO – Sim. As cenas punk e rock são absurdamente masculinas. Inclusive, recebi comentários bem rudes em alguns dos meus vídeos apenas pelo fato de que sou uma mulher, o que me enoja, para dizer a verdade. As pessoas estão vivendo no passado. Nunca senti a necessidade de cometer alguma extravagância com minha aparência para os vídeos (ou na minha vida como um todo), pois acredito que o talento puro é suficiente. E não, não creio que o fato de eu ser uma garota tenha feito com que eu conseguisse todas aquelas visualizações no Youtube. Pessoas que pensam isso são bem idiotas, sempre sujeitas àquela predisposição de que os homens são melhores que as mulheres. Por outro lado, muitos homens na cena punk são conscientes disso. O caras da Propagandhi têm sido incansáveis na busca de uma garota guitarrista para entrar na banda. Estou trabalhando duríssimo nas canções deles… Não sei se conseguirei a vaga, mas espero mesmo que achem uma garota para o posto, mesmo que não seja eu.

jenn_fiorentino_fotodois

NADA POP – E falando no Propagandhi, vimos um vídeo de você cantando em um show com eles. Como que rolou essa participação? Elas já a conheciam por conta das versões que fez? O que achou? Algumas outras bandas entraram em contato com você para falar sobre as versões que fez? Se sim, como foi?

JENN FIORENTINO – Eles entraram em contato comigo há alguns anos após terem visto algumas das versões que fiz e adoraram, o que para mim foi maravilhoso. Então, em 2012, eles pediram que eu fizesse um set acústico bem rapidinho para abrir um show deles em Toronto, o que foi ainda mais legal. Logo depois, em 2013, me convidaram para cantar ao vivo com eles a canção “Today’s Empires”. Jamais vou esquecer aquele momento. Eu estava nervosíssima e mal conseguia me ouvir (não estou muito acostumada a tocar em um palco tão barulhento), mas foi realmente incrível. Eles são caras ótimos. E sim, bandas como Strung Out, Bigwig, Less Than Jake, Operation Ivy… Todas elas ou entraram em contato comigo ou postaram meus vídeos em suas páginas na internet. São bandas que eu cresci ouvindo, que são modelos ótimos para mim, e só o fato de gostarem do que faço já me deixa super feliz.

NADA POP – Você gravou uma versão fodona da música “Waste”, do Bigwig com o Key Smith, da banda Local Resident Failure (que também é conhecido pelos medleys que faz tocando bateria). Você planeja fazer mais versões como aquela, com outros músicos ou foi apenas uma exceção? E os caras da Bigwig viram o vídeo?

JENN FIORENTINO – Sim, eles viram o vídeo. Tom e eu estamos planejando gravar algo juntos, mas ainda não deu certo. Ele é outro cara ótimo, humilde e super talentoso. E, claro, eu e o Kye esperamos conseguir fazer algum outro vídeo como aquele, rolou muito legal da última vez. No momento estamos bastante ocupados, mas esperamos conseguir fazer algo novo ainda este ano.

NADA POP – Vamos falar sobre o “From Darkness to Light”. Este é o seu primeiro disco com canções autorais? Você fez tudo sozinha ou teve o apoio de alguma gravadora?

JENN FIORENTINO – Na verdade, gravei um EP antes deste disco, “Upon Our Wonders”, com músicas autorais também. Lancei ambos de maneira independente e fiz algumas turnês nos últimos dois anos para promover os discos. Estou quase entrando em estúdio de novo, creio que em agosto, para gravar um novo álbum e com um novo produtor, Derek Downham, ele é um músico incrível e tem me ajudado muito, dando a direção certa para as minhas canções. Este álbum será um passo bastante grande para mim, tanto em termos de composição quanto de produção. Com certeza vou enviá-lo à várias gravadoras, pois creio que muita gente irá gostar desse novo álbum.

jenn_fiorentino_fototres

NADA POP – Quais têm sido os impactos do disco e qual a frequência de shows que você vem realizando atualmente? E você tem tocado exclusivamente na América do Norte? Como a internet tem ajudado seu trabalho?

JENN FIORENTINO – Bem, eu moro no Canadá, então faço mais shows por aqui mesmo. Já fiz shows nas Costas Leste, Oeste e também nos EUA, no ano passado. Conheci muita gente legal, sendo que com algumas delas irei trabalhar junto este ano. A internet com certeza ajudou muitas pessoas a promoverem seu trabalho e vender discos. Muitos dos meus fãs eu fiz por conta do Youtube, então para mim isto é ótimo.

NADA POP – O violão tem sido seu instrumento de preferência, quase que uma marca registrada sua. Você poderia nos dizer que tipo de violão utiliza e quais outros instrumentos você toca? Há algum instrumento, em particular, que você gostaria de aprender a tocar? Se sim, qual?

JENN FIORENTINO – Eu uso um violão Taylor 210CE e um Martin DC16GTE. Ambos são ótimos. Já a guitarra elétrica (que eu venho tocando bastante ultimamente), uso uma PRS SE Custom 24. Eu sei tocar um pouco de bateria e já brinquei com baixo também, mas tento sempre focar em tocar violão e aprimorar meu vocal. Eu adoraria aprender a tocar violino, um dia.

NADA POP – Recentemente você postou que está trabalhando em um novo disco, meio que como um projeto-paralelo. Há algo que pode adiantar para nós como um nome do álbum ou pessoas que irão participar nas gravações? Já tem alguma data de lançamento definida?

JENN FIORENTINO – Sim! Pois é, como comentei acima, entro em estúdio em agosto com a ajuda do produtor Derek Downham. Estamos em trabalho de pré-produção já faz uns 5 meses, apenas trabalhando as canções, gravando e editando e tal. Já tenho 9 canções prontas e pretendo gravar 10 para o disco. Não sei mesmo, pelo menos agora, quem serão as pessoas que irão tocar na gravação. Claro, vou gravar as vozes e tocar bastante guitarra/violão e acho que o Derek também irá gravar umas guitarras, bateria e baixo. Ele tem muitas ideias, então acho que vai ser rápido para a gente sacar como as coisas irão acontecer. Meu foco agora é me concentrar em compor e finalizar a décima música, que foi por isso que contratei este produtor, sendo que ele cuida de toda a parte logística e eu posso focar apenas na minha música.

NADA POP – Agora, gostaria de saber o que você conhece sobre o Brazil, mas sem fazer qualquer tipo de busca ou pesquisa. Diga-nos apenas o que vem à sua cabeça, seja algo que já sabe ou algo que ouviu falar. Fora isso, conhece alguma banda aqui do Brasil?

JENN FIORENTINO – Eu acredito que o Brasil tem um governo extremamente corrupto que massacra um povo fantástico, gentil e humilde. Tenho tantos fãs brasileiros que não vejo a hora de ir até aí tocar para todos vocês.

NADA POP – E por último, gostaria que nos dissesse o quão importante a música é para você e quais os próximos planos para divulgar seu trabalho e atingir ainda mais pessoas. Obrigado!

JENN FIORENTINO – Música é a minha vida! Eu sigo esse caminho não porque eu quero, mas sim porque preciso fazê-lo. Eu enlouqueceria se fizesse qualquer outra coisa! Vocês ainda ouvirão falar muito de mim, em breve!

Obrigada,

-Jenn

*******************************

Confira todos os canais da Jenn Fiorentino nas redes sociais:

Site
http://jennfiorentino.com

Youtube
youtube.com/jennfiorentino

Facebook
facebook.com/jennfiorentino

Instagram
instagram.com/jenn_fiorentino

Twitter
twitter.com/jennyfiorentino

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Nada Pop

Nada Pop é um espaço sobre punk, hardcore e alternativo.

3 Comentários

  1. Caio Viana 4 de agosto de 2015 at 07:10

    NADAPOP adorei a entrevista! Você foram no ponto exato onde o mundo gira.
    Trazer a Jenn Fiorentino e nos apresenta-la melhor, foi um presente enorme.
    Maravilhoso conhecer uma garota tão talentosa, inteligente e bonita.

    Sim, nós ainda vamos ouvir falar muito o seu nome.

    Thanks Jenn! Thank you for give us your voice, your music!

  2. Roberto 25 de julho de 2015 at 07:43

    Jen. Your last sentence, I fucking beleave that!!!

    • Roberto 25 de julho de 2015 at 07:46

      Jen. Your last sentence, I know that! Congrats!

Deixe seu comentário